sábado, 22 de novembro de 2008

Leminski


"Son of Man" by Rene Magritte


eu
quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro
ou está por fora

quem está por fora
não segura
um olhar que demora

de dentro de meu centro
este poema me olha

Paulo Leminski
.

12 comentários:

Vilma disse...

PErcebo bem isso... gosto de olhar nos olhos das pessoas quando falo com elas. E muitas, desviam o olhar. Como se eu conseguisse ler-lhes a alma! Será? :))
Um beijinho!

neli araujo disse...

Oi, Vilminha!

Acho que olhando nos olhos a gente consegue, sim, ler muita coisa da alma das pessoas! :))

"quem está por fora
não segura
um olhar que demora"

Eu adoro este poema do Leminski! Está lá no meu orkut desde sempre, rsrsrs

beijinhos, linda!

carmen disse...

Neli,
saio para dar uma volta para espairecer e quando volto encontro esta figura com este limão ou sei lá o que na cara!!! Não deu para ver os olhos dele não...

Mas eu sei disto, quando uma pessoa não sustenta o olhar, é porque deve algo, nem que seja a verdade ou a franqueza...

Isto vejo no meu serviço direto... a gente acaba aprendendo a perceber quando as pessoas estão falando a verdade ou estão mentindo para conseguirem o que querem... é muito interessante

bjs

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Neli!Maravilha!Na firmeza do olhar dos que nos falam mora a verdade de cada um...


As telas de Magritte são tudo de interessante,beijos com carinho,Sonia Regina.

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Neli!

Conheço pouco sobre Paulo Leminski. Mas adorei esse texto.

Também sou daqueles que conseguem adivinhar o que a pessoa está sentindo só de olhar.

Tem pessoas que não conseguem esconder os sentimentos. É visível em seu rosto.

Comecei a gostar de Leminski.

Beijo.

HSLO disse...

Não conhecia esse poema de Paulo Leminski. Show...viu. Lindo.

Abração..

neli araujo disse...

Oi, Carminha!

Sobre esta figura, linda:

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

"O Filho do Homem é uma pintura de 1964 executada pelo pintor surrealista belga René Magritte.

Magritte pintou-o como um auto-retrato. A pintura consiste de um homem em um terno e um chapéu-coco em pé na frente de um pequeno muro,com o mar e um céu nublado ao fundo. O rosto do homem é, em grande parte, oculto por uma maçã verde pairando no ar."

É isso, linda!

beijoquinhas

neli araujo disse...

Oi, Soninha!

Obrigada pelo carinho, linda!
Tenha um domingo lindo!
Beijinhos em você e na Gabi!

neli araujo disse...

Oi, Fran!

Também não conheço muito sobre Leminski, mas do pouco que já li que ele escreveu, gostei muito!
Foi casado com a também poetisa Alice Ruiz, e ambos além de poemas,escreviam também hai-kais!

beijinhos,

neli araujo disse...

Oi, Hugo!

Que bom que gostou, lindo!
Eu também adoro!
Tem muita coisa boa dele...é só procurar no google e ter um tempinho pra pesquisar, que vai achar muita coisa boa!

beijocas

bete disse...

Ó, agora não concordei não, eu tenho dificuldades para sustentar o olhar das pessoas, e nem por isso estou falando mentira, é...sei lá...é meu jeito...

neli araujo disse...

Lindinha você, Betuxa!

Fica preocupada não, hehehe

Eu acho que Leminski está falando do olhar romântico...bem, esta é a minha interpretação, hehehe

beijinhos, amiga!