segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Flashback 2 - À Flor da Pele...

Bar Memorial - Agosto 2008 by Cicero

.
Estava lendo o post “Corar” da Vilma do blog
e resolvi pegar uma carona.
Este é um “problema” que me acompanha desde a mais tenra idade, hehehe.


Sempre achei que os adolescentes eram cruéis com suas brincadeiras, e só para exemplificar, nos dias de hoje uma das crueldades que fazem nas escolas é o tal de “cuecão”, em que os meninos escolhem alguém para “zoar”, geralmente um menino mais tímido; fazem um “não sei quê”, que conseguem arrancar a cueca do menino por cima da calça do uniforme, no pátio ou em sala de aula, na frente de todo mundo. Imagino a vergonha deste coitado...


No meu tempo de ginásio (1965 a 1968), trabalhávamos diariamente em equipes de 6 alunos, (que eram meus amigos), mas bastava alguém olhar para mim ou pedir minha opinião, e eu já corava. E então era aquele “coro”, agradável demais:
“Tá vermelha”, tá vermelha, tá vermelha!

E então eu ficava mais vermelha ainda, e me sentia um “lixo”.


Passados quase 40 anos, nos encontramos novamente em 2006.

Depois deste primeiro encontro, nos reunimos mensalmente em um bar para almoçar, beber uma cervejinha e bater papo; e pasmem, eles ainda brincam e “tiram uma da minha cara”, quando coro frente a um elogio,
ou quando contam uma piadinha.
E então eu coro mais ainda, é lógico!
"Nossa, tá da cor da blusa.."

Só que hoje em dia, aos 55 anos, como ainda não criaram
um curso de “Como não enrubescer em público”,
já aprendi a conviver com meu repentino enrubescer,
e já não me importo, pois ele é involuntário.


Até me divirto com a falta de criatividade nas gozações...
Então, eu simplesmente canto a música

“À Flor da Pele” de Chico Buarque:

“O que será que me dá
Que me bole por dentro
O que será que me dá?
Que brota à flor da pele
O que será que me dá?
E que me sobe as faces
E me faz corar”


E deixo todo mundo falar que estou vermelha,
como se fosse a maior novidade! hehehe


E como muito bem disse minha amiga Vilma:
“Nos tempos que correm, em que já poucos coram com vergonha,
ver o sangue subir às faces, acaba por ser algo pouco comum.”


Deixo aqui o link para o Youtube, para quem quiser ouvir a música com
Milton Nascimento e Chico Buarque.


beijinhos corados a todos!

Neli
31/03/2009
.

16 comentários:

Vilma disse...

Neli!!!
Que foto tão linda contigo a corar!!!
Simplesmente amei!!
Que coisa mais linda tu corares.
Eu também já deixei de ficar chateada, apesar de que por vezes é um pouco embaraçoso!
Enfim!
um grande beijo e um aperto nessas duas bochechitas coradinhas! :D

Jhacy disse...

Amiga, sabes que até hoje também vivo a corar! mas não ligo mais, dá até certo charme, rsrsrs.
beijos.

dragao vila pouca disse...

Core à vontade Neli, mas olhe que humildade a mais é vaidade.

Beijinhos

Déia Arakaki disse...

Oi Querida!!
Voce disse uma grande verdade, hoje em dia o povo esta tão descarado que pouco se ve alguem corar !!
O Ney cora quando fica com vergonha kkkkkkk , coisa rara mais acontece.
Mais core mesmo querida , a pela fica mais bonita vermelhinha rs.
Beijos e bela foto viu!!

carmen disse...

Corar em minha casa???
Só batatas coradas... rsrsrs

Aprendi a não corar, não me perguntem como mas, antes eu ficava corada por qualquer coisa, e agora, acho que perdi a vergonha...rsrsrs

bete disse...

Vou escrever aqui o mesmo que escrevi na Vilma: sigo em frente usando a minha caixinha de corante em pó. Porque comigo, só assim...

talita disse...

Bó, conheço o episódio! Comigo não é corar, é ficar roxa, febril - extrapolo!!!

E por incrível que pareça, apesar dos 59, ainda fico chateada. Tenho raiva da falta de controle sobre uma emoção.

Mas fazer o quê, né? Falta controle, sobra colorido!

Beijo, irmã!

Tuca

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Neli querida!

Pelo jeito a Déia já contou que também coro quando estou com vergonha!

Acho bacana quando vejo alguém corar, aquela vermelhidão no rosto, pois mostra a timidez interior da pessoa. Mostra que no fundo ela é frágil e sentimental.

É sempre bacana também quando reunimos amigos de tempos atrás, poder rever histórias, brincadeiras (bobas da época), mas é gostoso. A amizade nunca morre com o tempo quando ela é verdadeira.

Beijos amiga corada.

Anita disse...

Vive o momento de agora como se ainda fosse cedo, como se ainda fosse tarde...
Vive a certeza que vale a pena: lutar, sonhar, amar... chegar, começar...

Amiga a vida vale a pena ser vivida...
Sê sempre muito feliz!

Estás linda.
Sabes que eu também coro imenso. Odeio isso. É terrível porque os outros notam logo.

Beijinhos mil
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

Pelos caminhos da vida. disse...

Ao nascer de mais um dia, tudo é lindo e maravilhoso. O caminho que se prossegue, a verdade que se faz presente e a vida que se expressa são os dons da plenitude Divina.

Bom dia Neli.

beijooo.

Nanda disse...

Eu também tenho esse problema, e como sou muito branca... imagine o espetáculo que fica!

Bjs.

Viviana disse...

Neli querida,

Confirmo que antigamente, quando eu era jovem...havia montes de gente que corava com a mior das facilidades.

Agora, deixa ver, deixa ver, acho que nã me lembro de ninguem que eu conheça que core.

Engraçado, não?

A Vilma é capaz de ter razão, sim.

Há tanta desfaçatez e falta de vergonha por aí...que é bem provável que o "corar" praticamente já pertença ao passado.

Salvo raras excepções, como a minha amiga Neli.

Um abraço

viviana

E o pensamento voa... disse...

:)

maria teresa disse...

Que "confissão" tão ternurenta... Eu com os meus 68 anos também coro com muita facilidade mas nunca ninguém se meteu comigo, excepto o meu marido que se "aproveitava" do meu corar para me fazer corar ainda mais:):):)
Abracinho

neli araujo disse...

Oi, Maria Teresa!

Obrigada pelo comentário tão querido!

Pois é, eu ainda fico corada, mas é porque não consigo esconder minhas emoções, rsrsrs

beijinho carinhoso,

neli

Anita disse...

Querida amiga tenha um dia lindo. Abra a janela do seu coração e deixe entrar por ela tudo de mais lindo como: AMOR, AMIZADE, PAZ, enfim tudo que a venha tornar extremamente feliz!
Pois Deus lhe deu a vida e a sua vida tem que ser vivida sempre com toda a felicidade.

Um dia abençoado amiga querida.

Sabes eu também sofro desse "mal". Coro com imensa facilidade. É horrível. Sinto-me tão mal...

Beijinhos.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)