sexta-feira, 27 de novembro de 2009

What's your problem?

Imagem da Net


Certo dia, em um mosteiro zen-budista, com a morte do guardião,
foi preciso encontrar um substituto.
.
O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos
para descobrir quem seria o novo sentinela.
O Mestre, com muita tranqüilidade, falou:
.
- Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro
o problema que eu vou apresentar.
.
Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala
em que estavam reunidos e, em cima dela,
pôs um vaso de porcelana muito raro,
com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo.
E disse apenas:
.
- Aqui está o problema!
.
Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo,
de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro.
O que representaria? O que fazer? Qual o enigma?
.
Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre,
os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e... ZAPT!...
destruiu tudo, com um só golpe.
.
Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse:
.
- Você é o novo Guardião.
.
Não importa que o problema seja algo lindíssimo.
Se for um problema precisa ser eliminado.
.
Um problema é um problema, mesmo que se trate de uma mulher
sensacional, um homem maravilhoso
ou um grande amor que se acabou.
Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido
para ele em sua vida, deve ser suprimido.
.
Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas
que foram importantes no passado,
mas que hoje somente ocupam espaço
- um lugar indispensável para criar a vida.
.
Os orientais dizem:
- Para você beber vinho numa taça cheia de chá é necessário
primeiro jogar o chá fora para, então, beber o vinho.
.
Ou seja, para aprender o novo é essencial desaprender o velho.
.
Limpe a sua vida.
Comece pelas gavetas, armários, até chegar nas pessoas
do passado que não fazem mais sentido estar ocupando
espaço em sua mente.
Assim, vai ficar mais fácil ser feliz!
.
Roberto Shinyashiki
.
Tenham todos um maravilhoso fim de semana!
.
beijo carinhoso,
neli
.

6 comentários:

.Lis disse...

Oi Neli
Esse autor é muito bom , gosto dele e esse texto serve pra refltirmos o quanto muitas vezes acumulamos inutilidades tanto no plano material quanto no físico.E tentar melhorar .
Obrigada pela bela partilha.
abraços

renato disse...

Olá, Neli!

Eu não tenho nenhuma dúvida de que um problema é sempre um problema!

A mim, o que me espanta, o que me indigna, o que me fere, o que me entristece, é a impotência de alguns para solucionar seus problemas! Teoricamente e na prática não serão fáceis, mas havendo sempre "uma luz ao fundo do túnel" haverá hipóteses de os resolver!

Mas haverá diversas formas de abordar esta questão, que nos levaria longe, se equacionarmos a problemática de o homem ser considerado isoladamente como a molécula subordinada e dependente do grande organismo social, que é transversal a todos!

Beijinho e B.F.S.

Renato

neli araujo disse...

Oi, Renato!

Concordo totalmente com você!

Muitas pessoas sempre têm um conselho na ponta da língua para "ajudar" a resolver o problema dos outros, mas raramente conseguem resolver seus próprios problemas!

Obrigada por suas palavras! Sua presença é importante aqui!

Uma beijoca, e tenha um óptimo fim de semana!

Neli

neli araujo disse...

Oi, Lis!

Obrigada por tua presença e por tuas palavras.

Eu adoro Roberto Shinyashiki, e suas palavras são sempre nmuito sábias e para nossa edificação.

Eu faço limpezas periódicas na minha casa e na minha vida, mas sempre acabo encontrando coisas sem serventia que ainda precisam ser descartadas.

beijinhos e um ótimo final de semana!

Neli

Juliana Paez disse...

Olá Neli,

Que texto maravilhoso, que lição de vida para muitos.

Adorei passar por aqui e encontrar algo tão precioso e importante para o nosso dia-a-dia.

Bjo grande pra vc!!
Ju

neli araujo disse...

Oi, Juliana!

Obrigada pela visita tão querida!

Eu recebi este texto por e-mail de uma amiga, e achei tão bom que quis partilhar com vocês!

beijo grande pra você também!

Neli